“Caminho é cadeia ou cemitério”, lamenta mãe de morto aos 17 anos durante roubo

Mãe narra que chorou e implorou, mas maldito “corre” a fez perder o filho em definitivo

Cb image default
Guilherme Alves, 17 anos, foi morto por delegado durante assalto. Foto: (Reprodução/Facebook)

“Fica um exemplo para quem não entende que esse caminho é cadeia ou cemitério. Descansa meu filho”. Com um lamento e ao mesmo tempo um duro alerta, a mãe de Guilherme Alves, morto com um tiro no peito durante assalto a delegado, se despediu do filho na rede social Facebook.

Com a foto de capa estampando Luto e a imagem de perfil trazendo um retrato do filho de 17 anos, a mulher começa contando que hoje é só tristeza.

“Porque agora definitivamente não vou ter ver mais, olha onde esse maldito corre te levou, para longe dos meus braços. Quantas vezes te falei, chorei e até implorei”, relata a mãe, numa postagem com diversas fotos de Guilherme, algumas menino e em outras já adolescente. Corre é uma expressão alusiva a crimes. Por fim, ela espera que o filho agora descanse.

“Descansa meu filho, a sua alma descansa pois teve tantas tribulações nesse mundo, tanta dor, sofrimento, mágoa. Sei que agora está em um lugar melhor, pois Jesus irá cuidar pessoalmente de você, você sempre será meu menino”, escreve a mãe de Guilherme.

A reportagem não conseguiu contato com a mãe do adolescente e, por esse motivo, não divulgou seu nome. O texto reproduz a postagem na rede social.

Na noite de sexta-feira (dia 22), Guilherme Alves foi morto com tiro no peito ao tentar assaltar o delegado Rodrigo Guiraldelli Yassaka, na Vila Polonês, em Campo Grande. Saiba mais >> Delegado reage a assalto e mata bandido com tiro no peito. Assaltante morto por delegado tinha 17 anos e havia saído de Unei em março

Cb image default
Adolescente morreu no local, comparsa conseguiu fugir. Foto: (Kísie Aionã)

Yassaka estava com a filha dentro de seu veículo, quando foi surpreendido por Guilherme e um comparsa. Durante a tentativa de assalto, um deles chegou a abrir a porta do motorista, onde o policial estava, e, com uma faca, anunciou o crime. O outro assaltante tentou abrir a porta do passageiro, onde estava a filha do policial.

O caso foi registrado como roubo majorado pelo concurso de pessoas e emprego de arma branca e morte decorrente de intervenção policial. Os policiais estão em busca do segundo envolvido no assalto.

Conforme apurado pela reportagem, Guilherme teria saído de uma Unei (Unidade Educacional de Internação) em março deste ano e já havia sido apreendido neste período. Ele agia em assaltos a veículos e seus alvos eram, preferencialmente, mulheres.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.