Garras prende mais três integrantes de quadrilha que cavou túnel para roubar banco em MS

Prisões aconteceram em Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul

Cb image default

O Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco e Sequestro) prendeu mais três integrantes da quadrilha, que em dezembro de 2019 cavou um túnel para roubar dinheiro do Banco do Brasil, em Campo Grande. Na época da descoberta do túnel, sete pessoas foram presas, entre elas, uma mulher.

Policiais do Garras foram neste fim de semana até os estados de São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina par cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão, contra outros integrantes da quadrilha identificados pelas investigações. Três integrantes da quadrilha foram presos.

Na última sexta-feira (13), no estado de São Paulo foi preso um integrante identificado como ‘Velho’, já em Bela Vista no Mato Grosso do Sul mais um integrante foi preso e uma terceira pessoa moradora de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul está foragida. As prisões preventivas foram decretadas pela 2º Vara Criminal de Campo Grande. ‘Velho’ estava usando um documento falso sendo que ele já foi condenado a 28 aos de prisão por roubos a bancos.

A quadrilha foi dividida em quatro núcleos, sendo o primeiro denominado de Duro, que faziam parte quatro integrantes que idealizaram e coordenaram o crime. Eles são responsáveis por pelo menos dois roubos a bancos, em 2016 no Banco do Brasil e 2019 na Caixa Econômica Federal.

O segundo núcleo seria o Gerencial composto por três integrantes, sendo que um deles morreu em troca de tiros com a polícia na época em que o túnel foi descoberto. O terceiro núcleo denominado de Apoio tinha seis pessoas que auxiliavam na empreitada criminosa, e por último o quarto núcleo de Execução composto por sete integrantes, que diretamente praticaram o crime, como a escavação do túnel.

Foram aproximadamente seis meses de investigações, sendo que na noite do dia 21 de dezembro de 2019, os policiais do Garras estavam na região do Coronel Antonino, onde fica localizada a casa usada para escavação do túnel. Os investigadores perceberam movimentação no local e decidiram fazer a atuação para desmantelar a organização criminosa.

Já por volta da 1 hora do dia 22, a equipe voltou ao local e percebeu um grupo deixando a casa em um caminhão e uma Hilux. A equipe viu os automóveis na Rua Dollor Ferreira de Andrade, na esquina com a Rua do Rosário, quando foi feita a primeira abordagem. O motorista do caminhão, Bruno, jogou o veículo contra um dos policiais e a ação foi revidada a tiros.

Bruno ainda conseguiu fugir num primeiro momento e em seguida foi feita abordagem aos ocupantes da Hilux, Barba e José, que estavam com pistolas em punho e atiraram contra os policiais. Os disparos foram revidados e eles chegaram a ser encaminhados para a Santa Casa, deram entrada na área vermelha, mas não resistiram aos ferimentos.

Os policiais conseguiram localizar Bruno já nas proximidades da Santa Casa, buscando por atendimento médico. Ele foi preso em flagrante. As equipes fizeram buscas na casa no Zé Pereira e prenderam Eliane, Wellington, Lourinaldo, Francisco e Robson. Já em outra casa na Rua Iguassu, no Amambaí, foi detido Gilson. Com ele foram apreendidos vários aparelhos celulares, entre outros aparatos.

Os integrantes da organização criminosa foram apresentados em coletiva de imprensa pelo delegado João Paulo Sartori, que também mostrou junto de equipes de policiais do Garras o túnel escavado pelos criminosos, que responderão por roubo majorado. Por Thatiana Melo, via Midiamax

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.