Publicado em 08/02/2020 às 23:35, Atualizado em 09/02/2020 às 04:01

“Top Five” Ivi Hoje - Confira os assuntos mais lidos da semana

Caso sobre “policial que matou rapaz durante confusão em posto” e “família que tenta descobrir porquê bebê vomita sangue” está entre as mais lidas

Da Redação, Ivi Hoje, Por Silvio Angelo
Cb image default

Se a semana foi agitada e passou que você nem percebeu, aproveite agora internauta para ficar por dentro dos assuntos mais lidos por aqui. Confira o Top 5 do Portal Ivi Hoje nos últimos sete dias.

Ivinhema - Policial que matou rapaz e feriu outro durante confusão em posto é indiciado por dois crimes. Ele irá responder por homicídio e lesão corporal grave.

O soldado está preso no Presidio Militar Estadual, em Campo Grande, e responde a procedimento administrativo na Corregedoria da corporação. Os outros três suspeitos também seguem presos. Saiba mais aqui.

Ainda conforme o apurado, o MP é contra tirar da prisão policial indiciado por homicídio, o caso aconteceu durante confusão em um posto de combustíveis, dia 25 de janeiro, o PM afirma que tentou separar a confusão e chamou os amigos para irem embora do local. Porém, quando todos estavam dentro do veículo, o jovem e outras pessoas teriam supostamente cercado o automóvel. E o soldado teria recebido um soco e, ao perceber que o jovem fez menção de pegar algo na cintura, atirou uma vez com pistola. Saiba mais aqui.

Decisão! Justiça confirma sentença e Novo Horizonte do Sul deve exonerar 20 servidores de cargos comissionados, o Juiz de Direito Roberto Hipólito da Silva Junior julgou parcialmente procedente ação proposta pelo MP/MS, confirmando que o Município de Novo Horizonte do Sul exonere 20 ocupantes de cargos comissionados, bem como se abstenha de fazer novas nomeações para os cargos impugnados. Saiba os cargos e funções, clicando aqui.

Homem com facão é preso pela PM por violência doméstica no Bairro Itapoã, em Ivinhema, um homem de 48 anos foi preso após ameaçar a irmã de 52 anos com um facão. Os policiais foram solicitados pela vítima, pois seu irmão estava agressivo e com um facão ameaçando-a. A equipe foi até o endereço porém o agressor não estava mais no local, o autor, após o fato, saiu em direção à praça do bairro. Os PMs conseguiram localizar o autor ainda com facão na mão. Após abordagem e contenção do homem, foi observado que ele estava com ferimentos nas mãos e no rosto. Saiba mais aqui.

Família em Ivinhema luta por vaga em hospital para descobrir o porquê de bebê vomitar sangue. A menina de 8 meses passou por várias unidades hospitalares e a aguarda por atendimento em Curitiba. A falta de um diagnóstico preciso aumenta o sofrimento da família da pequena Emanuelle Vitória da Silva Fontoura, de 8 meses. O bebê vomita sangue diariamente e os médicos não sabem informar ao certo o motivo. A esperança da família é a realização de uma consulta pelo SUS no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba. O problema é conseguir a vaga.

“Se a gente soubesse o diagnóstico era mais reconfortante, mas sem o diagnóstico a angústia é muito grande”, declara a mãe de Emanuelle.

Ela conta que a filha foi diagnosticada com hiperplasia, aumento do número de células num órgão ou num tecido, no teste do pezinho. Quando a menina completou cinco meses, os pais perceberam sangramentos constantes nas fezes do bebê. Além disso, ela começou a vomitar sangue diariamente.

De lá para cá, a menina passou por hospital em Ivinhema, o Regional, em Campo Grande e outras unidades hospitalares, mas até o momento nenhum profissional cravou o que ela tem.

Em princípio acharam que se tratava de má formação no intestino, depois levantaram a hipótese de colite ulcerativa, doença caracterizada pela inflamação do intestino e sem causa definida. Sem diagnóstico fechado, não é possível realizar um tratamento adequado.

A família está realizando rifas e buscando ajuda de parentes e outros moradores de Ivinhema para conseguir arcar com os gastos de uma consulta ou internação no Hospital Pequeno Príncipe e da alimentação da menina. Emanuelle só pode se alimentar com leite especial em que o preço de 400 gramas é de R$ 200, em média.

As secretarias municipal e estadual de Saúde sabem do caso e dizem estar tentando a vaga em hospitais de outros estado. A burocracia acaba impedindo o atendimento rápido. A documentação sobre o estado de saúde da menina foi entregue em Campo Grande porque a transferência deve ser realizada por meio do Estado. “Nós também estamos desesperados gostaríamos que ela já tivesse ido”.

Em nota, a SES (Secretaria de Estado de Saúde) informou que “está empenhada para a realização da transferência da paciente. Todas as tratativas e processos burocráticos estão sendo realizados. A Secretaria Municipal de Saúde de Ivinhema está a par de todos os encaminhamentos e avanços.

A SES está tentando a transferência via Tratamento Fora do Domicilio (TFD). Entretanto, até o momento o Hospital Pequeno Príncipe em Curitiba não liberou a vaga para a paciente. Saiba mais aqui