Publicado em 10/02/2019 às 11:18, Atualizado em 10/02/2019 às 14:24

Suspeitos de envolvimento na morte de policial são presos em Maracaju, um morto em troca de tiros

Policiais do Choque, Bope, Militar e Civil fizeram buscas pelos assassinos desde a madrugada 6 pessoas estão envolvidos

Silvio Angelo, da Redação, Tudo do MS
Cb image default
O local onde aconteceu o crime em Maracaju. Imagem: (Hosana de Lourde)

Seis suspeitos de envolvimento no assassinato do policial militar de Maracaju, Juciel Rocha Professor, neste domingo, sendo que cinco foram presos e um veio a óbito em troca de tiros neste domingo, dia 10.

Um deles preso identificado pelas equipes do Batalhão de Choque da PMMS e Batalhão de Operações Policiais Especiais – BOPE, Eduardo Rocha Cavana, 22 anos, vulgo Sukilla e o outro (morto) Marcos Maciel Benites, 21 anos, vulgo Bituca, outros quatros ainda não tiveram os nomes divulgados haja vista o BO está sendo feito pela Policia Civil de Maracaju.

As equipes das policias de Campo Grande foram chamadas para ajudarem nas buscas dos suspeitos e trabalham no caso. O crime aconteceu por volta da 01h da manhã em uma lanchonete na área central de Maracaju.

Cb image default

Entenda!

O policial militar Juciel Rocha Professor foi executado na madrugada deste domingo (10), com pelo menos cinco tiros na cabeça. Os pistoleiros estavam em uma motocicleta e o crime ocorreu no centro de Maracaju.

O soldado da PM estava em uma lanchonete com amigos e a namorada, quando foi atingido com pelo menos cinco tiros na cabeça. Segundo informações policiais, o passageiro da motocicleta desceu sem tirar o capacete e seguiu diretamente ao policial.

A vítima estava sentada de costas para o autor e não teve tempo de reagir. O atirador disparou várias vezes e fugiu. O PM morreu na hora. O caso é investigado pela Polícia Civil.

Em Nota.

Cb image default

Com imensurável tristeza e revolta, comunicamos a precoce partida de mais um irmão.

Pessoa e profissional de caráter e qualidade inquestionáveis, o SD Rocha foi assassinado pelas costas com tiros na cabeça, durante sua folga, na área central de Maracaju/MS.

Quando morre um policial, para muitos é só um número, mas para nós nunca será mais um.

Em pouco tempo de Polícia, colecionou homenagens e elogios de seus superiores.

Aos colegas, amigos e familiares, ficam as lembranças de um menino que realizou seu sonho e que espalhava alegria por onde passava.

Vá com Deus, irmão. Descanse em paz ao lado de Deus e olhe por nós daí de cima. Que Deus conforte a família.