Costa Rica faz maior apreensão de drogas de sua história, mais de cinco toneladas de cocaína

Estima-se que o confiscado tenha um valor de 126 milhões de euros no mercado europeu, para onde seria enviado

Cb image default
Droga embarcaria para a Holanda | Foto: Ministério De Segurança Pública da Costa Rica / Divulgação / CP

A polícia de Costa Rica fez no sábado a maior apreensão de drogas da sua história, ao descobrir mais de cinco toneladas de cocaína escondidas em um contêiner que seria embarcado em um navio neste domingo no porto de Limón. A droga estava em um carregamento de flores ornamentais com destino ao porto holandês de Roterdã, anunciou o ministro do Interior, Michael Soto Rojas. Estima-se que o confiscado tenha um valor de 126 milhões de euros no mercado europeu. “O contêiner deixou San Carlos com a carga legal. Presumimos que as drogas foram colocadas em local indeterminado entre San Carlos e Moín”, afirmou o ministro, citado pelo jornal costa-riquenho La Nación. Por isso, um homem de sobrenome Rodríguez, de 46 anos e sem antecedentes criminais, foi preso.

O contêiner onde a droga estava foi localizado na sexta-feira. No sábado, os agentes descobriram dentro dele 202 malas com 5.048 pacotes de cerca de um quilo de cocaína cada. Isso foi relatado pelo Ministério da Segurança Pública, no final da tarde de sábado, durante uma conferência de imprensa realizada nas instalações da Base 2, no aeroporto Juan Santamaría, onde a droga foi transferida pelo Departamento de Vigilância Aérea. "É a passagem de uma estrutura transnacional que usa a Costa Rica como armazém para contaminar subsequentemente produtos nacionais para levá-los ao território europeu ou norte-americano, como já aconteceu em outras ocasiões", afirmou o chefe de Segurança.

Rojas acrescentou que a cocaína apreendida foi produzida na América do Sul e se mudou para a Costa Rica, provavelmente pela água do Pacífico Sul. “Posteriormente, eles usam técnicas como essa para levar para outros países. As estruturas criminais transnacionais usam vários métodos para fornecer drogas aos diferentes continentes do planeta”, comentou, descrevendo a operação como "um golpe muito forte para as organizações criminosas". O próximo passo, apontou, é continuar trabalhando na desarticulação dessas estruturas em toda a região.

“O que esperamos para o futuro? Há investigações que precisam ser desenvolvidas, grupos que devem ser divididos e é muito importante trabalhar regionalmente com os países da região, porque as estruturas criminais não podem ser tratadas por um único país, mas é um trabalho conjunto. Parece-me uma das apreensões mais importante e a maior da região da América Central. Não conheço um caso em que tanta droga tenha sido apreendida na América Central ", enfatizou. Ele disse que era um trabalho "positivo e histórico" do ponto de vista da polícia. “Isso demonstra o esforço que todos estamos fazendo. Às vezes estamos indo bem, às vezes nem tanto, mas há um esforço importante das forças policiais ”, acrescentou.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.