Caçadores abatem duas das últimas três girafas brancas do mundo

Fêmea e seu filhote foram mortos em um vilarejo a nordeste do Quênia

Cb image default
Girafas brancas foram mortas por caçadores e viviam em uma reserva ambiental no nordeste do Quênia (Créditos: Ishaqbini Hirola Community Conservancy)

Duas das últimas três girafas brancas que viviam na reserva ambiental Ishaqbini Hirola, no nordeste do Quênia, foram mortas por caçadores, segundo confirmado por guardas florestais nesta ultima terça-feira (10).

A carcaça de uma mãe girafa e de seu filhote de sete meses foram encontrados na reserva na quinta-feira (05), após a população local notar a ausência dos animais. Segundo ambientalistas, a estimativa é de que elas foram mortas há pelo menos quatro meses. A maior ameaça às girafas é a caça, que dizimou cerca de 40% da população em 30 anos, de acordo com Africa Wildlife Foundation.

Em comunicado emitido por Mohammed Ahmenoor, que administra a reserva, a morte das girafas "é um golpe nos passos dados pela comunidade na preservação das espécies raras e únicas", além de alerta para a continuidade dos esforços para a conservação da vida dos animais.

Estima-se que ainda exista uma girafa branca vivendo no Quênia, que seria a última de sua espécie no mundo. A aparência incomum é devido a uma condição rara chamada leucismo, que faz com que as células da pele não tenham pigmentação.

Os caçadores ainda não foram localizados.

Cb image default
A reserva está em uma vasta área não cercada. Existem também vilarejos dentro da reserva.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.