Portal Ivi Hoje 8 Anos Informação a um clique! 12:00

Brasil está entre os países mais desonestos do mundo, diz pesquisa

Foram distribuídas 17.303 carteiras em 40 países. Nelas haviam dinheiro, cartões identificados com nome, profissão e e-mail em parte externa, além de uma chave e lista de compras

Cb image default

Se você encontrasse uma carteira cheia de dinheiro no meio da rua, o que você faria? Uma pesquisa realizada por universidades dos EUA e da Suíça, publicada pela revista Science, distribuiu 17.303 carteiras em 355 cidades pelo mundo –com ou sem dinheiro. O objetivo? Medir a honestidade cívica das pessoas.

O resultado elegeu a Suíça como o país mais honesto e a China, o mais desonesto. O Brasil ficou em 26º lugar. Na frente do território brasileiro estão a Argentina (18º), Portugal (20º), EUA (21º), Reino Unido (22º) e Chile (25º). Eis tabela completa

O estudo foi realizado ao longo de 3 anos. As carteiras, tinham, além de dinheiro (quantia de acordo com o poder de compra do país respectivo), cartões identificados com nome, profissão e e-mail em parte externa, além de uma chave e lista de compras.

Cb image default
O material das carteiras era transparente, sem que fosse necessário abrí-la para ver os dados do dono

Em todos os casos em que as pessoas entravam em contato para devolvê-las, eram enviadas mensagens agradecendo o esforço e dizendo para que o dinheiro fosse doado para instituições de caridade ou que ficasse para a pessoa.

As principais conclusões foram:

* Quanto mais dinheiro nas carteiras, maior o número de devoluções;

* Mais comum devolverem carteiras com dinheiro (51% dos casos) do que sem dinheiro (40% dos casos)

* A taxa de devolução elevou para 72% contra 61% nos nos países EUA, Reino Unido e Polônia quando os valores subiram;

* Os motivos para devolução de carteiras com mais dinheiro são: preocupações a imagem de ladrão e por considerar o objeto valioso para o proprietário por conta da chave;

* Haviam mais tentativas de devoluções em lugares com menor nível de corrupção, como em países escandinavos.

Assinada pelos representantes Alain Cohn, da Universidade de Michigan (EUA); Michel Maréchal, da Universidade de Zurique (Suíça) e Christian Zünd, da Universidade de Utah (EUA), a pesquisa relacionou a honestidade cívica à incentivos materiais, ou seja, à medida que o valor monetário aumenta, o fator desonestidade cresce.

O altruísmo também foi avaliado como diretamente proporcional à desonestidade. Para o estudo, a preocupação com o próximo normalmente é menor do que com a própria.

“O interesse próprio praticamente sempre domina as preocupações pelo bem-estar dos outros”

No Brasil

As cidades brasileiras Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Fortaleza, São Paulo e Manaus receberam ao todo 400 carteiras. O número de devoluções ficou próximo da média mundial.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.