Silvio Santos. Disposto a romper o monopólio da Globo no futebol

O empresário, de 89 anos, pode abrir mão de duas horas do seu programa. E fechar contrato de quatro anos com o Carioca. Audiência da final pesará

Cb image default

Aos 89 anos, Silvio Santos pode abrir duas horas de seu programa para o futebol. Reprodução Twitter

Silvio Santos é, ao mesmo tempo obstáculo e trunfo para o SBT voltar a apostar no futebol, de vez. E não fazer da transmissão de quarta-feira, entre Flamengo e Fluminense, final do Campeonato Carioca, um evento único, sem sequência. Ele tem a real possibilidade de herdar o contrato do Estadual do Rio de Janeiro, até 2024, da TV Globo.

A emissora da família Marinho não perdoa a Ferj por haver permitido que o Flamengo transmitisse sua partida contra o Boavista, usando a Medida Provisória 948, publicada pelo presidente Jair Bolsonaro, que permite ao clube mandante transmistir seus jogos, se não tiver contrato com nenhuma emissora. Pouco importando se o rival tenha.

A cúpula da Globo já projetou o que o Flamengo, clube com quem não tinha contrato no Carioca, iria fazer. Além de mostrar por seu canal no Youtube o jogo contra o Boavista, transmitiria, como fez, a semifinal da Taça Rio, contra o Volta Redonda.

E também a final da Taça Rio, se tivesse o mando, seria definido por sorteio.

Além da decisão do campeonato.

O que realmente acontecerá.

Daí a rescisão unilateral e, definitiva, de acordo com advogados da Globo.

Executivos da Loterj, ligados à Ferj, procuraram o SBT no Rio. E Silvio Santos foi consultado sobre o interesse de mostrar a final. Quando entendeu a situação, ele viu a possibilidade ótimo negócio. E já teria até acertado patrocinadores para o jogo de quarta-feira.

E ele soube da possibilidade de a Ferj negociar o Carioca até 2024 com o SBT. Nas condições que a Globo pagava, cerca de R$ 100 milhões pelo torneio.

Ou seja, um investimento de cerca de R$ 400 milhões.

Cb image default

Campeonatos Cariocas até 2024 oferecidos para o SBT. Silvio decidirá. Imagem: Ferj

O presidente Rubens Lopes aproximaria a diretoria do Flamengo do SBT para que não se repetisse o problema deste ano, quando a Globo tinha o direito de mostrar todos os clubes do Carioca, menos o de maior torcida, maior audiência, o atual campeão da Libertadores, do Brasil, do Rio. O Flamengo.

Em relação ao futebol, Silvio sempre teve dois problemas. O primeiro sempre foi a cumplicidade entre Globo, CBF, federações e clubes. O exemplo foi a Copa do Brasil, que o SBT tornou em grande evento, e a Globo 'tomou', com sutil apoio da CBF e dos clubes.

Mas ele entendeu que a força da Globo no futebol diminuiu muito. De acordo com a sua atual falta de dinheiro, crise profunda financeira.

A ponto de abrir mão do Carioca ser uma dádiva à emissora.

O segundo ponto sempre foi o fato de o futebol ter o seu dia e horário mais nobre no domingo, das 16 às 18 horas. Silvio é apresentador de televisão desde 1962. Há 58 anos. E, mesmo quando estava na Globo, detestava ter de abrir espaço no seu programa dominical para as duas horas de futebol.

Só que Silvio Santos é um empresário vitorioso. E é realista. Fará 90 anos em dezembro. Não é eterno e também não pretende ficar no ar se não tiver condições.

As suas dez horas que ficava no ar, são quatro. Com quadros gravados durante a semana. Ele divide o domingo com Eliana e Celso Portiolli.

Há como acomodar o futebol na grade de programação dominical. O Carioca, sem a pandemia, leva três meses. E atrai patrocinadores nobres, que investem pesado.

Silvio já começou a agir. Exigiu a antecipação da final do jogo de quarta-feira, que acontecerá às 21 horas e não 21h30. Para enfrentar a segunda metade do Jornal Nacional. E não pegar de frente a novela repetida Fina Estampa.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.