Polícia diz que três tiros foram disparados no show em que MC Daleste morreu

O delegado Rui Pegolo, da Delegacia Seccional de Campinas, confirmou ao UOL nesta segunda-feira (8) que foram disparados três tiros de uma distância de 20 a 30 metros do palco na noite deste sábado (6), quando o funkeiro MC Daleste morreu. Daleste, que tinha 20 anos, morreu após ser atingido por um desses tiros no tórax, por volta das 22h30, enquanto cantava em uma festa julina no bairro San Martin, em Campinas (a 93 km de São Paulo).
O delegado, que instaurou inquérito nesta segunda, afirmou também que a perícia deve ser concluída até o final desta semana. A Polícia Civil de Campinas está organizando uma força-tarefa com delegados e investigadores para apurar o caso.
Pegolo afirmou também que ainda não foram ouvidos parentes do funkeiro até o momento, apenas testemunhas sem relação com o cantor, de forma informal. Outras testemunhas estão sendo localizadas.
Enterro
O funkeiro foi enterrado por volta de 9h40 desta segunda-feira (8), no cemitério da Vila Formosa, na região leste de São Paulo. Centenas de fãs acompanharam o enterro cantando músicas do artista.
Após o disparo, a vítima chegou a ser socorrida e levada para o Hospital Municipal de Paulínia. Ao UOL, a instituição informou que a bala atingiu o tórax do cantor. Ele foi levado para o centro cirúrgico, mas morreu à 0h55.
|Meu irmão não tinha inimigos, ele era da paz. Não consigo imaginar quem possa ter feito isso com ele. Quero justiça. O criminoso tem que ser preso|, afirmou ao UOL Rodrigo Pellegrine, 26 anos, irmão e parceiro musical de Daleste. Rodrigo estava no palco no momento em que o MC foi baleado.
Daleste fazia parte do grupo de funkeiros que canta |funk ostentação| ou |funk paulista|, em que temas de preocupação social dão lugar a letras sobre dinheiro, marcas de roupa, carros, bebidas, joias e mulheres. O funkeiro cantava os hits |Gosto Mais do que Lasanha| e |Mais Amor Menos Recalque|, esse último já foi reproduzido mais de 1 milhão e 600 mil vezes no YouTube. Em outra canção, |Apologia|, o MC escreveu |Matar os policia é a nossa meta / Fala pra nois quem é o poder / Mente criminosa coração bandido / Sou fruto de guerras e rebeliões|.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.