Publicado em 22/03/2020 às 19:55, Atualizado em 22/03/2020 às 23:07

Mulher mata filha de 10 anos e enterra corpo em aterro sanitário em Brasilândia

Conforme apurado, a mulher matou a criança estrangulada, na madrugada deste domingo

Da Redação, Ivi Hoje, PerfilNews
Cb image default
A vítima foi estrangulada pela própria mãe Emileide Magalhães e enterrada ainda viva de cabeça para baixo nas proximidades do lixão da cidade.

Os moradores de Brasilândia acordaram nesse domingo (22), com uma notícia de um crime bárbaro, que chocou a sociedade local. Uma mulher de 30 anos, identificada por Emileide Magalhães matou a filha estrangulada e a depois enterrou de cabeça para baixo. A vítima de 10 anos de idade, de acordo com o Boletim de Ocorrência, foi enterrada viva, em uma propriedade rural, próximo ao lixão, distante cinco quilômetros do perímetro urbano de Brasilândia.

VERSÃO DA MÃE

Segundo a versão que a mãe contou à polícia, era por volta das 17:00 horas de sábado, quando ela teria saído de carro com sua filha, Gabrielly e seu filho mais velho, de 13 anos. Eles foram até a Praça do Ginásio e que de lá mandou o filho mais velho embora e então saiu de carro apenas com sua filha em direção a MS-040, que após aproximadamente cinco quilômetros, da cidade, ela entrou em uma estrada vicinal, onde seguiu por mais alguns metros, parou o veículo e estrangulou a filha com um fio. Feito o ato, ela a enterrou o corpo da criança de cabeça para baixo.

MATOU A FILHA E FOI TOMAR CERVEJA

A mulher disse aos policiais que após o fato retornou à cidade, parando na conveniência do Pedrinho, para tomar cerveja. Algum tempo depois, ela retornou até o local do crime para conferir se a filha estava morta. No local, a ela percebeu que a vítima ainda estava viva, se debatendo. Então a mulher jogou mais terra sobre o corpo, retornando novamente à cidade, só que desta vez, não parou em nenhum local, apenas circulou de carro sem rumo. Após algum tempo ela se dirigiu ao local que enterrou o corpo para novamente conferir se a filha estaria em óbito. Desta vez a vítima já se encontrava sem vida.

Após constatar a morte da filha, ela foi até sua casa tomou banho e dirigiu-se para a Delegacia onde registrou um boletim de ocorrência de desaparecimento da criança.

CAIU A FICHA

Após decorrer algumas horas, já na madrugada de domingo a mulher foi até o Pelotão da Policia Militar de Brasilândia e foi atendida pelo PM plantonista, Cabo Roger e confessou o crime. O policial, ainda incrédulo repassou via rádio para o sargento Luciano, que retornou ao pelotão e de lá foi com a mulher no local que enterrou o corpo.

Constatado crime, o comandante do pelotão, acionou a delegacia de Polícia Civil relatando o fato. Equipes de investigadores, perícia, além do delegado de plantonista foram ao local para fazer os levantamentos. Após concluída a perícia, a funerária foi acionada para conduzir o corpo da criança.

ABUSADA PELO PADRASTO

A mulher foi indagada pelos policiais qual era o motivo que a levou tirar a vida da filha de forma tão brutal, porém ela preferiu manter-se calada. Na cidade comentários nos grupos de WhatsApp informa que a menina era abusada pelo padrasto e que esse era um dos motivos que a levou tirar a vida da filha, não se sabe se por ciúmes ou para proteger o marido.

O titular da delegacia de Brasilândia, delegado Thiago Passos, disse ao Perfil News, que o filho da mulher, de 13 anos, está detido na delegacia e pode ter ajudado a mãe a cometer o crime. Porém essa hipótese ainda está sendo investigada. Ele disse ainda que a mulher será transferida imediatamente para o presidio feminino de Três Lagoas.