Infectado com coronavírus aos 28 anos, médico perde a mãe e a avó em três dias

Ele trabalha no Hospital São Paulo, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), e em outros serviços públicos

Cb image default
A família reunida em dia de festa. Douglas com a avó Iracema, o pai Claudinei e a mãe Rita de Cássia. As duas morreram por complicações decorrentes da infecção pelo coronavírus. Foto: (Arquivo pessoal/UOL VivaBem)

Nas últimas duas semanas, o coronavírus afetou gravemente a família do médico Douglas Sterzza Dias, 28 anos. Em três dias, ele perdeu a mãe e a avó. Um tio está na UTI. Outro já sente falta de ar. “É notícia ruim atrás de outra pior”, disse Douglas, também infectado, ao blog.

Ele trabalha no Hospital São Paulo, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), e em outros serviços públicos. Em um depoimento contundente, Douglas descreve as dores emocionais e os danos físicos provocados pela covid-19.

O jovem médico, que faz residência em cirurgia vascular, precisou interromper a quarentena para enterrar a mãe. Sozinho, sem ter ninguém para abraçar, viu o caixão ser transferido do carro funerário direto para a cova. “Para a minha família não foi uma gripezinha”.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.