Benefícios que você poderá receber com o fim do auxílio emergencial

Cb image default

Ao que tudo indica e apesar de várias discussões, o auxílio emergencial poderá realmente acabar em dezembro. Com isso muitos cidadãos já estão pensando sobre como ficará a situação financeira com o fim do benefício, tendo em vista que grande parte dos beneficiários estão utilizando o auxílio para sobreviver.

Existem alguns programas que podem ser aprovados ainda esse ano e ajudará parte dos inscritos do auxílio emergencial, como é o caso do Renda Cidadã, contudo existem alguns outros benefícios que o cidadão poderá receber e já inclusive são pagos, se você gostaria de conhece-los, continue acompanhando o artigo!

Benefícios para receber

Mesmo com uma projeção desanimadora, o brasileiro em situação vulnerável pode contar com alguns programas sociais do governo que tem por objetivo ajudá-los. Contudo, por ser um programa social do governo é necessário que o cidadão se enquadre nas regras dos programas para conseguirem acessa-los.

Programas que o governo paga ao cidadão de baixa renda onde você pode se inscrever:

Programa de distribuição de renda do governo federal

Benefício de Prestação Continuada (BPC)

Benefício de Risco ou Programável do INSS

22 benefícios para ter direito ao se inscrever no CadÚnico

CadUnico

Outros benefícios que o cidadão poderá ter acesso diz respeito aos programas sociais que se utilizam da base de dados do CadÚnico para liberação, confira à seguir 22 benefícios que você poderá ter acesso:

O brasileiro que se cadastrar no CadÚnico (Cadastro Único) poderá contar com 22 benefícios específicos, confira:

Aposentadoria para Pessoas de Baixa Renda;

Tarifa Social de Energia Elétrica;

Benefício de Prestação Continuada (BPC);

Programa Minha Casa Minha Vida;

Carteira do Idoso;

Bolsa Família;

Telefone Popular;

Isenção de Pagamento de Taxa de Inscrição em Concursos Públicos;

Programas Cisternas;

Água para Todos;

Bolsa Verde (Programa de Apoio à Conservação Ambiental);

Bolsa Estiagem;

Fomento às Atividades Produtivas Rurais/ Assistência Técnica e Extensão Rural;

Programa Nacional de Reforma Agrária;

Programa Nacional de Crédito Fundiário;

Crédito Instalação;

ENEM;

Serviços Assistenciais;

Programa Brasil Alfabetizado;

Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti);

Identidade Jovem (ID Jovem);

Carta Social.

Como se inscrever no CadÚnico

Geralmente, os próprios municípios organizam visitas regulares às famílias de baixa renda para incluí-las no Cadastro Único. Mas, caso sua família se encaixe no perfil de quem deve estar cadastrado e ainda não está, é possível fazer isso presencialmente.

Para saber onde, entre em contato com o Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) mais próximo. Alguns, inclusive, também realizam o cadastro.

Para cadastrar a família toda, é necessário que uma pessoa se responsabilize por informar os dados de todos os membros. Essa pessoa, chamada de Responsável pela Unidade Familiar (RF), precisa:

Fazer parte da família, morar na mesma casa, ter pelo menos 16 anos de idade e ser, preferencialmente, mulher;

Apresentar seu CPF ou Título de Eleitor (exceto em casos de famílias indígenas e quilombolas, que podem apresentar qualquer um dos documentos abaixo);

Mostrar pelo menos um documento de cada membro da família (pode ser certidão de nascimento ou casamento; CPF; RG; certidão administrativa de nascimento do indígena, RANI; carteira de trabalho; ou título de eleitor);

Não é obrigatório apresentar um comprovante de endereço, mas, se tiver, ajuda no preenchimento do cadastro.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.